E peço isto: que o vosso amor cresça mais e mais em ciência e em todo o conhecimento,
Para que aproveis as coisas excelentes, para que sejais sinceros, e sem escândalo algum até ao dia de Cristo;
Cheios dos frutos de justiça, que são por Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus. (Fp 1:9-11)

Mais do que falar de justiça, devemos viver em justiça. Devemos dar frutos de justiça para Deus. A palavra de Deus diz que o Senhor esquadrinha o coração prova os pensamentos dando cada um segundo o proceder, segundo o fruto de suas ações (Jr 21:14;Jr 17:10).

Aquilo que o homem semear, isso também ceifará (Gl 6:7).

Existe um princípio espiritual que é: Aquele que semeia pouco, pouco ceifará.
Aquele que semeia em abundância, em abundância ceifará (2 Cor 9:9).

Isso serve para todas as áreas da nossa vida. Também diz a palavra de Deus:

“Ora, aquele que dá a semente ao que semeia também vos dê pão para comer, e multiplique a vossa sementeira, e aumente os frutos da vossa justiça;” (2 Cor 9:10)

O Senhor sabe o porquê, como e quanto semeamos e principalmente “qual a motivação” do nosso coração nesta lei de semeadura. A palavra diz:

Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna (Gl 6:8).

Resumindo, se o Senhor não achar verdadeiros frutos de justiça em nossa vida, em vão trabalharemos.

A Bíblia fala no livro de Mateus no capítulo 21 a parábola dos lavradores maus que acabaram não cuidando daquilo que foi dado pelo proprietário, ou seja, Deus. No final tudo que foi feito foi arrendado por aqueles trabalhadores foi arrendado para verdadeiros trabalhadores que lhe paguem os frutos no seu devido tempo (Mt 21:33-41). Tem muitos hoje que são como aqueles trabalhadores que rejeitam a justiça de Deus, espancando o Filho (Jesus) com sua ganância, seu descompromisso e irresponsabilidade. Embora o respeitem de boca, o negam de fato. Ao invés de cultivar a vinha, esquecem ,abandonam e não dão frutos.
Só procuram receber o salário do trabalho, muitas vezes, fruto de corrupção. Com isso, surge ervas daninhas que fazem com que não haja frutos na vinha.

O fruto do justo – Se no Senhor agirmos em justiça produziremos frutos. Diz o livro de provérbios que a raiz diz justos produzirá os seus frutos e não será removida (Pv 12:3;12). Aquele que ouve a palavra de Deus acolhendo em seu coração (boa terra) dará muito fruto (Mc 4:8).
Pois o fruto do justo é a árvore da vida e o que ganha almas é sábio (Pv 11:30).

É como árvore da vida, ou seja, é fonte de vida eterna, que serve de alimento e produz sombra para aqueles que nela se abrigam. O Fruto da justiça é viver Jesus, como Jesus viveu.

Infelizmente, por aumentar a iniquidade temos vistos muitos frutos podres e superficiais na Igreja de Deus. Tanto em lideranças, como na vida de muitos cristãos em geral falta-lhes frutos. Muitos até aparentam ser fruto de justiça de Deus, mas interiormente não são. Falta a muitos desses verdadeiros frutos de justiça e arrependimento.

Vamos viver em 2013 a liberação dos frutos de justiça e todas as áreas de nossas vidas, tudo que plantamos durante os anos passados vamos experimentar uma grande liberação dos frutos e da justiça divina.

Esse é o ano de grande liberações para a gloria do nome do nosso amado Senhor Jesus.

Pr. Joel Bezerra/Pra. Roberta Bezerra.

 

Shalom a Todos.